Olho eletrônico

Câmeras de segurança são itens indispensáveis para a vigilância, a instalação dos dispositivos é estratégica para que seja realmente eficaz

 

É possível contar nos dedos quantas reuniões em seu prédio acontecem sem tocar no assunto “segurança”. A verdade é que esse assunto não é exclusividade de onde você mora. Curitiba registrou aumento de 50% nos assaltos ano passado comparando com 2014, segundo dados da Secretaria de Estado da Segurança Pública. Por isso é compreensivo que que o tópico esteja entre as prioridades de quem mora em condomínio.

O caminho natural em um contexto como este é a instalação de câmeras de segurança. Vistas por muitos moradores como invasivas no que tange à privacidade, elas são itens indispensáveis para a vigilância de um prédio. O importante é que a decisão tenha o entendimento de todos e a instalação dos dispositivos siga alguns critérios.

 

Avanços na Segurança

A instalação de um sistema de segurança eficaz já não sai tão custosa como em anos atrás. Hoje, equipamentos wireless já dispensam a instalação de cabeamento. Boa deles parte é resistente às mudanças do clima e impermeável. A resolução de imagens também não deve em nada às câmeras mais tradicionais, com imagens transmitidas em high definition ou até mesmo em infravermelho.

“Caso o orçamento do prédio permita, é possível elevar o nível de segurança, com o consentimento dos outros moradores”, explica o síndico Alessandro Neri.

Novos dispositivos como a “Netatmo Welcome Station”, disponível para compra por meio de importação, oferecem reconhecimento facial e permitem dizer quem entrou e quem saiu de um local. Com visão noturna, o aparelho dispensa até mesmo o uso de iluminação e possui integração com iPhones e iPads.

Na hipotética situação de assalto, muitos ladrões costumam apagar as fitas de segurança para evitar reconhecimento de polícia. Mas, segundo Neri, isso também pode ser evitado. “Alguns sistemas de segurança possuem envio direto das imagens para o sistema de nuvem e não podem ser deletados pelos criminosos”.

 

Onde instalar

Priorize as áreas de uso comum. Locais como salão de festas, academia, hall de entrada, quadras, brinquedotecas e corredores de acesso aos elevadores concentram maior circulação de pessoas.

“Evite utilizar câmeras de movimento, pois elas podem incomodar alguns moradores. Dispositivos com gravação são essenciais, pois permitem a averiguação posterior em caso de ocorrências dentro do condomínio”
Diz Neri.

O excesso de vigilância também pode ser um problema: evite locais como toaletes e próximos a vestiários. Câmeras nesses lugares podem reforçar a sensação de invasão de privacidade e gerar discussões nas reuniões com moradores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *