Revestimento duradouro

Conheça os tipos de tinta e entenda qual a melhor forma de reformar o condomínio

Pintar ou reeformar a pintura de um prédio pode ser um assunto mais complicado do que parece. Já nas primeiras decisões, o síndico se verá em dúvida; qual o melhor tipo de tinta a utilizar na fachada e nas áreas? Quando é o melhor momento de mexer na parte externa?

Para responder esta e algumas questões, Osmar Hamilton Becere, mestre em Habitação e pesquisador do Laboratório de Materiais de Construção Civil do IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas), publicou recentemente um artigo que elucida boa parte dessas questões.

Saber a melhor hora para pintar

“A presença de manifestações patológicas na pintura indicará o momento de se entrar com repintura; infiltração de água através de fissuras ou trincas, bolhas, descascamento, pulverulência da tinta devido à degradação da resina e descoloramento representam as principais manifestações.”

O tempo com que essas manifestações surgem varia em função das condições de exposição do edifício, bem como da qualidade da tinta empregada e da espessura da película aplicada. Fachadas menos ensolaradas, voltadas para a direção preferencial das chuvas dirigidas, áticos, caixa d’água, platibandas superiores, molduras horizontais etc., costumam se deteriorar antes se comparadas com locais mais protegidos. Os serviços de pintura e restauração das fachadas podem ser executados em qualquer época do ano. Entretanto, é mais recomendável entre abril e setembro, uma vez que é o período de maior estiagem.

Procedimentos mínimos dos fornecedores

É sempre aconselhável que a avaliação do estado do sistema de revestimento seja realizada por profissionais com experiência no assunto.

“Esses profissionais e/ou empresas avaliarão, sob vários aspectos, a necessidade de uma intervenção reparadora ou indicarão um projeto executivo, que certamente terá sentido quando da necessidade de intervenções no sistema de revestimento como um todo”
Aconselha Becere.

Limpeza da fachada antes de pintura

É recomendável que a fachada seja lavada por hidrojateamento de forma a remover os poluentes e microrganismos aderidos; eventuais eflorescências; materiais pulverulentos; bem como facilitar a identificação de fissuras, para que essas sejam corrigidas antes da pintura ou texturização.

A periodicidade de lavagem depende do grau de exposição a que está sujeita a fachada e do tipo de acabamento do revestimento, capaz de reter mais ou menos sujidades.

“No caso das texturas acrílicas, se houver necessidade de reparar alguma área danificada, recomenda-se demarcar a região, protegendo o entorno com um filme plástico ou papel e remover a textura degradada com auxílio de ferramentas apropriadas”
Diz Becere.

Especificações das tintas

Tinta látex econômica; indicada exclusivamente para ambiente interior, ela deve atender no mínimo às especificações indicadas

Tinta látex standard; tinta látex fosca indicada para ambiente interior/exterior e que deve atender no mínimo às especificações indicadas, de nível intermediário

Tinta látex premium; indicada para ambiente interior/exterior e que deve atender no mínimo às especificações indicadas na referida norma, de nível superiores

“Em termos de desempenho, a tinta látex Premium tem critérios mais rigorosos para os requisitos estabelecidos e, dessa forma, espera-se que ela apresente melhor desempenho que a Standard, a qual, por sua vez, possui critérios mais rigorosos em relação às tintas econômicas”

Segundo o especialista, é fundamental, também, medir o teor de sólidos de resina e as propriedades de absorção de água e de permeabilidade ao vapor de água desses materiais.

 

Orientações básicas para as pinturas

Antes da pintura, o usuário deverá avaliar a condição do local, corrigindo eventuais anomalias. É importante a realização de uma inspeção para verificar a presença de regiões com som cavo e mapeamento dessas áreas. Dependendo da área comprometida, tornam-se necessárias correções antes da aplicação da pintura.

“A substituição de toda a argamassa de emboço é uma tarefa muita difícil de ser realizada e de alto custo”.

“Desta forma, a sua substituição somente deverá ser empregada quando as possibilidades de recuperação forem esgotadas. Essa avaliação demanda profissionais competentes com experiência no assunto.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *